Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Hyperlapse App

por Miguel Reis, em 27.08.14

 

 

 

O Instagram anunciou ontem à tarde o lançamento de uma nova app chamada Hyperlapse que, confesso, me deixou bastante entusiasmado pelo seu gigantesco potencial criativo.

 

A par da profissionalização crescente dos bloggers, youtubers e viners , parece-me que, em breve, os hyperlapsers serão também uma realidade. Aguardemos.

 

"We’re excited to announce Hyperlapse from Instagram, a new app to capture high-quality time lapse videos even while in motion.

Traditionally, time lapse videos depend on holding your phone or camera still while you film. Hyperlapse from Instagram features built-in stabilization technology that lets you create moving, handheld time lapses that result in a cinematic look, quality and feel—a feat that has previously only been possible with expensive equipment." (@ Instagram Blog)

 

A App é gratuita e está já disponível para iOS (v 7.0) e brevemente para Android.

 

Vídeos de apresentação da app e da sua tecnologia de estabilização de imagem, em baixo.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00

Instagram + Música = Tunepics !

por Miguel Reis, em 22.05.14

 

Não seria fantástico se houvesse uma app que permitisse juntar uma canção a uma foto, para ilustrar na perfeição qual o mood do momento?

 

Que bela ideia, não é?  Ora, é este o conceito da Tunepics, uma rede social 100 % made in UK, liderada por Justin Cooke, marketeer que passou por empresas como a Burberry, Gucci, TopShop entre muitas outras e foi distinguido pela Fast Company  (publicação que acompanho religiosamente) como uma das “100 Most Creative People 2013”.

 

Para dar um push à sua comunicação, a Tunepics apostou na ativação de alguns endorsers como Jamie Oliver, Will.i.am, Tracy Anderson e fechou parcerias com empresas como a ASOS, Airbnb ou AllSaints.

 

A app foi lançada hoje e já se encontra disponível na App Store gratuitamente.

 

Creio que a Tunepics tem grandes possibilidades de ser um sucesso porque permite aos utilizadores ligarem uma realidade imagética a uma realidade sonora e dessa forma expressarem as suas emoções de uma forma muito mais profunda e inovadora.

 

Confesso que usei o Instagram numa fase muito primária da empresa, antes da mesma ser comprada pelo Facebook, mas rapidamente me cansei. Contudo, este conceito é uma lufada de ar fresco e deixou-me realmente curioso quanto à forma como a Tunepics será muito em breve uma ferramenta de comunicação com grandes potencialidades. 

 

 

 

Mais info em Tech Crunch,  The Guardian e Marketing Magazine.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:30

Quer seja no Facebook, Twitter, Tumblr, Instagram ou Pinterest, as mulheres são as grandes dominadoras do social media landscape nos Estados Unidos. 

 

A única e grande exceção é o Linkedin, onde se verifica uma percentagem superior de utilizadores masculinos .

 

Ainda que, infelizmente, a infografia em baixo se debruce sobre a realidade nacional, é relevante verificar este artigo escrito por Alexx Hillsberg no site Finances Online, de onde saliento a pertinência da sua conclusão, que serve de learning importante:

 

"women interact with brands more often and for a wider range of reasons and they consume and share news more frequently than men, who are likely stuck in news and sports websites. We can expect more content and brands leaning towards women’s interests. If you’re a marketer you should take these trends seriously to position your messaging."

 

 

Alexx Hillsberg foi também o responsável pela compilação dos dados na infografia em baixo, usando fontes como o Pew Research Center ou Burst Media.

 

A realização da infografia esteve a cargo da Ruby Media Corporation.

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00

Serão as selfies todas iguais?

por Miguel Reis, em 21.02.14

O termo selfie massificou-se e faz parte do quotidiano de quem está presente nas redes, por isso é excusada a sua explicação. 

 

Mas... serão que as selfies todas iguais?

 

Muito recentemente, uma empresa chamada Selfiecity, tem-se dedicado a analisar informação do Instagram para ver qual a posição da cabeça, expressão emocional, género e idade das pessoas que tiram #selfies. A empresa fez um estudo que tem como objetivo apurar como é que as pessoas tiram selfies em diferentes culturas. 

 

A Selfiecity analisou selfies de 5 cidades diferentes, num total de 3200 fotos e concluíram que cada cidade tem a sua própria identidade de selfie, havendo um padrão que muda de cidade para cidade.

 

As 5 cidades analisadas foram Banguecoque, Berlim, Nova Iorque, Moscovo e São Paulo. 

 

Algumas conclusões são interessantes:

 

- As mulheres tiram mais selfies que os homens;

- As mulheres têm mais tendência para inclinar a cabeça para o lado que os homens;

- A inclinação das mulheres de São Paulo é superior em ângulo às mulheres de NY;

- Os utilizadores de São Paulo e Banguecoque sorriem mais que os de Moscovo.

 

Fico curioso sobre qual seria a análise à cultura selfie nacional...

 

 

A história completa pode ser lida na Wired.

 

Detalhes sobre o estudo podem ser visto aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:36


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D